Wednesday, September 24, 2008

Bóra daqui

CIDADE DA LUZ
QUE MATARIA OUTRO HERÓI, JESUS!
CIDADE DA FÉ
QUE ENVERGONHA A MÃE E O PAI, JOSÉ!
CIDADE FRIA
DAS PROSTITUTAS E DAS VIRGENS, MARIA!
CIDADE DE UM DEUS
OXALÁ, DE JAH, SHALOM AMÉM, SOU EU!

AH, ME LEVA EMBORA DAQUI
AH, VÊ SE ME DEIXA SORRIR
AH, ME LEVA EMBORA DAQUI
AH, CHEGA DE ME ILUDIR

CIDADE PRA NÓS, DE PÓ
POIS NÃO SABEMOS DESATAR O NÓ
CIDADE PRA DOIS
DAMOS UM TEMPO, DEIXAMOS PRA DEPOIS

CIDADE DOS REIS
DA FOME E DAS COISAS QUE EU NEM SEI
CIDADE PRA TRÁS
VER NO RETROVISOR E VOLTAR NUNCA MAIS.

1 comment:

André Christ said...

Tua poesia tem som, cara. Provoca arritmia. Vibra.
Tua palavra provoca, cara. Descontrola as idéias. Calibra.

Gostei. Muito!
Abração